é Falso que popularidade digital de Bolsonaro tenha caído após 7 de Setembro

Pelo contrário os dados públicos mostram que o presidente Bolsonaro aumentou sua popularidade digital após 7 de Setembro e mesmo depois da nota
15.set.2021 às 04h10
é Falso que popularidade digital de Bolsonaro tenha caído após 7 de Setembro

Logo após o 7 de setembro que se consagrou como as maiores manifestaçõs em apoio a um presidente da História do Brasil, os veículos de comunicação e sites que fazem oposição ao presidente Bolsonaro tentaram minimizar o evento, mesmo diante as fotos e vídeos a imprensa quebrou uma das regras éticas principais do jornalismo que é "Nunca brigue com a imagem" bem como a máxima que diz "Uma imagem vale mais que mil palavras" mas desconsiderando todas as noções e subestimando a inteligência de seus leitores e expectadores

O que se viu logo após as manifestações do dia 07 foram uma enchurrada de narrativas e manobras tentando diminuir a grandiosidade do evento, sites como Folha de São Paulo, Estadão,  O Globo, CNN etc.. lançaram matérias em que o público estimado foi bem menor do que observado nas imagens e vídeos, segundo a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo sobe a tutela do Governador João Dória, a imprensa relatou que o público presente na Avenida Paulista era de apenas 125 mil pessoas e 15 mil manifestantes da Esquerda no Vale do Anhangabaú, já em Brasilía o número inicialmente estimado pela Secretaria de Segurança do Governador Ibaneis Rocha foi de apenas 105 mil cidadãos porém diante das imagens de Helicóptero, Drone e vídeos das janelas dos prédios mostrarem a Paulista completamente Lotada e a Esplanada dos Ministérios ocupada como nunca visto antes, pelo menos em Brasilia a secretaria voltou a trás e fez uma nova estimativa em que informava a presença de 400 mil pessoas.



Logo após as manifestações a mídia procurava assuntos para tentar virar a página, foi então que Bolsonaro lançou no dia 
09/09 no portal oficial do Governo uma nota a nação em que frustrou uma pequena parte de seus eleitores que esperavam uma solução a curto prazo e enérgica, mas a frustração foi maior principalmente na mídia e para a esquerda e a terceira via que aguardavam ansiosos uma atitude autoritária do presidente para corroborar a narrativa que o Bolsonaro é um ditador, assim a frustração se extendeu nas redações dos jonais que se viram perdidos com uma informação não prevista vinda do presidente.

Foi então que diante de uma pequena frustração do seu eleitorado a estratégia da esquerda e da imprensa foi inflamar os dados para mostrar que o presidente estava perdendo popularidade, mesmo um dia depois dos maiores atos em apoio ao presidente serem registrados,  assim diante da falta de dados concretos tentaram ligar a popularidade digital do presidente a uma possivel perca de apoio.

É inegável que alguns apoiadores tenham se frustrado mas o que vamos ver aqui neste  levantamento da Verdade é que este número foi insignificante e tão irrelevante comparado ao aumento da popularidade que o presidente teve nos últimos dias, o que mostra através de fatos reais que a mídia "MENTIU" ao afirmar que o presidente perdeu popularidade quando na verdade ocorreu exatamente o contrário Bolsonaro fez foi aumentar sua popularidade digital, vejamos: 


A Mentira

Logo após a divulgação da carta a Folha de São Paulo publicou uma manchete com o seguinte destaque:

"Bolsonaro desaba em popularidade digital após nota retórica sobre o 7 de Setembro"


A pequisa foi realizada pela empresa Quaest Pesquisas que tem sede no estado de Minas Gerais e um dos seus diretores Felipe Nunes é colunista do Site jurídico Jota e podemos perceber que a maioria dos textos de sua coluna faz oposição ao atual presidente Bolsonaro, em uma busca rápida pelo google podemos observar que a empresa é frequentemente utilizada por veiculos de mídia da esquerda e de sites que fazem críticas ao presidente como Folha de São Paulo, Veja, Metrópoles entre outros, e todas as pesquisas realizadas por esta empresa um fato sempre se repete, os resultados são sempre negativos em desvantagem ao atual presidente, a mesma empresa também realizou uma pesquisa Eleitoral no início do mês em que diz que Bolsonaro perderia para Lula e Ciro Gomes, bem as eleições de 2022 ainda estão longe, mas para testar a idoniedade da empresa podemos observar o resultado de duas pesquisas mais recentes realzadas pela mesma:



A primeira pequisa realizada e divulgada no dia 01/07 e publicada pela revista Veja com o título "O 7% do Sete de Setembro - "Pesquisa Quaest mostra que minoria radical pretende ir às ruas e apoiar Bolsonaro no momento de maior rejeição do governo" a matéria dizia segundo a pesquisa da Quaest Pesquisas em Parceria com a Genial Investimento que penas 7% dos eleitores pretendiam ir às ruas no Sete de Setembro, e logo após no dia 06 de setembro no site O Globo  também repercutiu a seguinte manchete "Pesquisa aponta que maioria dos entrevistados desconhece manifestações previstas no 7 de setembro"

As duas matérias divulgadas uma semana e um dia antes das manifestações tinha um mesmo objetivo claro, que era desidratar as manifestações e desencorajar as pessoas a irem para as ruas para participarem do evento, porém mesmo diante das pequisas o que se viu nas ruas foi uma adesão em massa das pessoas e que realizaram uma manifestação Histórica,  e que na prática provou que a pesquisa realizada é falsa ou não condiz com a verdade dos fatos. 

Mesmo diante das manifestaçõese do fracasso da narrativa a empresa voltou a fazer uma pesquisa e ser referenciada por veículos da velha mídia, desta vez o levantamento relatou que o presidente perdeu popularidade, mais uma vez a Folha estampou em sua capa e repercutiu em redes como o twitter o resultado e relatou que o resultado se baseou no IPD (Índice de Popularidade Digital) da empresa de consultoria Quaest Pesquisas.

Segundo pesquisas o tal indice foi criado exclusivamente pela empresa em questão e não existe nem é utilizado na literatura por outros institutos de pesquisa além da 
Quaest muito menos existe qualquer equivalência do tal índice em inglês, assim este índice foi idealizado e é utilizado exclusivamente por esta empresa sem qualquer tipo de auditoria ou Compliance e segue critérios criados por ela para aferir os resultados: mas a metéria vai além e finalmente  explica como este índice é calculado:  

"São monitoradas seis dimensões nas redes: fama (número de seguidores), engajamento (comentários e curtidas por postagem), mobilização (compartilhamento das postagens), valência (reações positivas e negativas às postagens), presença (número de redes sociais em que a pessoa está ativa) e interesse (volume de buscas no Google, YouTube e Wikipedia)." 

A Verdade

Ao contrário do que apontou a pequisa da Quaest os dados público das Redes Sociais do Presidente Bolsonaro tiveram um aumento expressivo em sua popularidade, vamos observar o primeiro critério: "número de seguidores", segundo os dados públicos e do renomado site Social Blade que faz uma avaliação do crescimento das redes sociais diariamente e inclusive já foi muito utilizado pela Folha em suas matérias podemos observar o seguinte: 




Assim de Acordo com o levantamento o presidente tinha em 02/09 um número de 18 Milhões 715 mil seguidores na Rede Social do Instagram e a média de crescimento diário foi de 5.800 seguidores, mas nos dias que antecederam as manifestações Bolsonaro ganhou no dia 05/09 11 mil seguidores e chegou no seu pico um dia depois das manifestações no dia 08 ganhou 71.800 mil seguidores em um só dia, assim no dia 09 em que o presidente divulgou a carta o presidente chegou a ganhar mais 15 mil seguidores e no dia 10 mais 6mil, isso não quer dizer que Bolsnaro não tenha perdido seguidores mas que o Saldo de todos os dias nunca ficou negativo e sim positivo portanto não é correto afirmar que o Presidente perdeu popularidade enquanto na verdade ele ganhou ao final mais de 176 mil seguidores totalizando mais de 18 Milhões de seguidores só em uma rede social Instagram: 

Se fomos observar o comportamento em outras redes sociais foi o mesmo segundo o Social Blade no Twitter Bolsonaro tinha 6,987,467 Milhões no dia 02/09 e hoje soma mais de 7 Milhões portanto o presidente ganhou mais de 37 mil seguidores no Twitter.


Já no Facebook a rede social mais popular Bolsonaro também teve um aumento expressivo em seus seguidores no dia 02/09 o presidente tinha 10,976,775 Milhões e hoje já utrapassa 11 Milhões num aumento de mais de 40mil seguidores.

Por ultimo observamos o canal do Youtube do presidente que no dia 02/09 tinha 3.51 Milhões de inscritos e hoje soma 3.53 Milhões tendo um aumento de mais de 2mil inscritos.

Logo podemos constatar que é MENTIRA afirmar que o presidente teve uma queda de seguidores nas redes sociais:

Outro dado utilizado pela empresa foi o engajamento que é medido pelo número de comentários e curtidas, se observamos só no instagram no dia da manifestação a foto da Paulista tem 2 milhões de Curtidas e mais de 71 mil comentários já a foto postada no dia 02 em que criticava uma matéria falsa do Estadão a popularidade do presidente voltou a subir com mais de 400 mil curtidas e 44 mil comentários a grande maioria de apoio ao presidente.

No dia 11 o Presidente postou um vídeo da visita que realizou na EXPOINTER no Rio Grande do Sul e mostrando que mesmo 3 dias depois da carta o presidente ainda está com sua popularidade em alta e foi recebido por milhares de pessoas no evento.

Por fim para desmascarar mais um item que formula o tal IPD da Quaest que é "volume de buscas no Google" vamos perguntar ao próprio Google que tem uma ferramenta onde qualquer pessoa pode saber o volume de buscas em um termo relacionado Chama-se Google Trends e assim:



Podemos constatar no gráfico que o volume de buscas pelo nome de Bolsonaro no dia 04 de setembro já era alto, e no dia 11 portanto 2 dias após a carta Bolsonaro utrapassou o limite máximo de buscas que é 100% logo é MENTIRA afirmar que as pesquisas pelo nome do presidente caiu dias após a carta.

Para concluir podemos assim observar que o Instituto de pesquisa não foi transparente em seus dados e assim como a matéria do dia 01 e 06 que antecederam a manifestação foi utilizado apenas para tentar desgastar a imagem do Presidente Bolsonaro frente a população e seus apoiadores.

Extra:
Monitoramos também O telegram oficial do presidente Bolsonaro e podemos constatar que Bolsonaro teve um aumento expressivo e está chegando a quase 1 Milhão ( 933 450 )  de Inscritos "até o fechamento desta matéria" no aplicativo de mensagem, hoje Bolsonaro é a personalidade Brasileira mais seguida do Brasil e uma das conta com mais seguidores no Mundo no aplicativo de mensagem, enquanto Lula tem apenas 32 mil


Bônus
Segue um breve comparativo de popularidade entre Lula & Bolsonaro nas redes: 

Instagram: 
Bolsonaro: 18,8 Milhões 
Lula: 3,2 Milhões

Facebook: 
Bolsonaro: 11 Milhões 
Lula: 4 Milhões

Twitter: 
Bolsonaro: 7 Milhões 
Lula: 2,7 Milhões

Youtube: 
Bolsonaro: 3,53 Milhões 
Lula: 352 mil 

Telegram: 
Bolsonaro: 933.450 mil ( Aproximadamente 1 Milhão )
Lula: 32 mil 

Fonte: Brado Jornal
Com informações das Redes Sociais, Social Blade e Google Trends