Homem morre em operação das forças de segurança contra facção que participou de morte de policial federal em Salvador

Ação tem objetivo de cumprir 12 mandados de busca e apreensão e oito de prisão
Por: Brado Jornal 29.nov.2023 às 08h32
Homem morre em operação das forças de segurança contra facção que participou de morte de policial federal em Salvador
Policiais civis cumprem mandados em Salvador. Crédito: Tony Silva/Polícia Civil

Um homem morreu na manhã desta quarta-feira (29), durante uma operação realizada por policiais federais, militares e civis contra membros da facção criminosa "Bonde do Maluco", que participaram diretamente do homicídio do agente federal, Lucas Caribé Monteiro de Almeida, de 42 anos.

A operação acontece em Salvador e região metropolitana. O grupo também é suspeito de praticar diversos crimes na Bahia.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia, o homem foi identificado como Pablio Henrique Barbosa Almeida, de 25 anos, conhecido como "Emílio Gaviria", apelido dado em referência ao traficante colombiano Pablo Escobar.

Intitulado como "puxador de bondes" de uma facção, o homem foi encontrado em um condomínio na localidade de Abrantes, no município de Camaçari, na região metropolitana de Salvador.

Com passagens por porte ilegal de arma de fogo e denunciado pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) por tráfico de drogas e associação criminosa. Segundo a SSP-BA, o suspeito, que nasceu em Aracaju, ostentava fotos com fuzil e submetralhadora nas redes sociais.

Pablio Henrique Barbosa Almeida também é suspeito de comandar grupos para atacar rivais na região de Valéria. Durante cumprimento de mandado de busca e apreensão, o suspeito atirou nas equipes do DHPP e PF e acabou atingido.

O suspeito foi socorrido e levado para o Hospital Menandro de Faria, mas não resistiu aos ferimentos. Um revólver calibre 38, munições e celulares usados para organizar ataques e na distribuição de armas e drogas foram apreendidos.


Operação Temporal

Segundo a Polícia Federal, a "Operação Temporal" tem o objetivo de cumprir 12 mandados de busca e apreensão e oito de prisão.

A operação que terminou com a morte de Lucas Caribé e de mais quatro homens investigados por cometer crimes aconteceu no dia 15 de setembro, no bairro de Valéria. Até o dia 3 de outubro, ao menos 16 suspeitos de participação no crime já tinham morrido em confrontos com forças policiais

Equipes das Polícias Civil (DHPP e CORE), Militar (BOPE, CHOQUE, BPatamo, Cipe Polo Industrial e Rondesp Atlântico) e Federal (COT, CAOP E GPI), além da Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (FICCO/BA) participam da operação desde as primeiras horas do dia.

As investigações revelaram que a ordem para invasão do bairro de Valéria que resultou no confronto, no dia 15 de setembro, partiu de uma liderança da facção que está presa há mais de um ano. Também foi constatado durante as investigações que o ataque aos policiais teve participação de mais de 50 criminosos fortemente armados.

A Polícia Federal informou que os investigados responderão pelos crimes de homicídio qualificado e organização criminosa. As penas somadas podem chegar a 38 anos de reclusão.

A PF informou que continuará a apuração na tentativa de identificar e localizar todos os suspeitos que participaram direta ou indiretamente da morte do policial federal. A instituição afirmou que qualquer informação que possa ajudar pode ser passada através do número: (71) 3319-6000.

A ação policial foi denominada de "Operação Temporal" porque o bairro de Valéria teve a origem a partir do desmatamento de três fazendas existentes na área onde hoje está localizado o local.

Bairro onde aconteceu operação é disputado por facções por ser próximo a saídas de Salvador

As fazendas eram pertencentes as famílias tradicionais: Schindller, Temporal e Omaque, dando origem a loteamentos e invasões. O primeiro loteamento oficial do bairro foi o do Temporal.


Veja abaixo a cronologia das mortes em confrontos:

Os dois primeiros suspeitos foram mortos durante o confronto em que o policial Lucas Caribé foi baleado, no dia 15 de setembro;

No mesmo dia, outros dois homens apontados como suspeitos morreram após troca de tiros com policiais, entre os bairros de Valéria e Rio Sena;

A morte do quinto suspeito aconteceu no bairro de Mirantes de Periperi, no dia seguinte à operação;

No dia 17 de setembro, quatro suspeitos morreram em confrontos com as forças de segurança. As trocas de tiros aconteceram em Periperi e na Palestina;

No dia 21, cinco homens também apontados como suspeitos de participar do confronto morreram após uma troca de tiros, na cidade de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador;

No dia 27, um suspeito foi morto em confronto com policiais em Cruz das Almas, cidade do recôncavo baiano. Na oportunidade, um outro homem também não resistiu aos ferimentos, mas ele não foi apontado como integrante do grupo;

No dia 2 de outubro, o último suspeito de envolvimento na morte do policial federal foi morto durante confronto com a polícia na cidade de Catu, a 70 km da capital baiana.



📲 Baixe agora o aplicativo oficial da BRADO
e receba os principais destaques do dia em primeira mão
O que estão dizendo

Deixe sua opinião!

Assine agora e comente nesta matéria com benefícos exclusivos.

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar nesta matéria!

Carregar mais
Carregando...

Carregando...

Veja Também
Em 2024, Bahia mantém 100% das escolas estaduais com acesso à água potável
Foram anunciados novos investimentos superiores a R$ 1,1 bilhão em infraestrutura e em projetos que já estão sendo implementados para melhorar ainda a qualidade de vida
Carregando..