TSE proíbe o porte de armas durante as eleições para evitar violência política

O veto coíbe o transporte de armamento tanto no dia da votação quanto nas 24 horas antes e depois da data
Por: Brado Jornal 29.set.2022 às 14h24
TSE proíbe o porte de armas durante as eleições para evitar violência política
Foto: Agência Brasil

Colecionadores, atiradores e caçadores estão proibidos de portar armas e munições em todo o Brasil entre 1 e 3 de outubro, de acordo com decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), proferida nesta quinta-feira, 29. Aprovada por unanimidade, a resolução busca resguardar o processo eleitoral e garantir que os eleitores tenham o livre exercício do seu direito de votar, sem coação, segundo o texto publicado. Dessa forma, fica vetado o transporte de armamento tanto no dia das eleições quanto nas 24 horas antes e depois da data. Atual presidente do TSE, o ministro Alexandre de Moraes foi favorável à medida, argumentando que “importa considerar, também, o quadro de disputas, observadonas redes sociais, de onde resultam, muitas vezes, lamentáveis episódios de violência política agravados pela circulação de armas de fogo. Foi reportado o risco representado pelo funcionamento de clubes de tiro, frequentados por caçadores, atiradores desportivos e colecionadores, conhecidos como CACs. As autoridades policiais sugeriram, como medida preventiva, a proibição de funcionamento dos referidos espaços, destacando que a referida medida seria determinante para que se evitasse a circulação de armas de fogo no período e, consequentemente, fossem evitadas situações de violência armada”.

O texto também indica que quem for identificado em porte de armas ou munição será preso em flagrante, sem prejuízo do crime eleitoral correspondente. Os ministros já haviam decidido anteriormente que o transporte de armamento não seria permitido dentro de um perímetro de 100 metros das seções eleitorais, a não ser por agentes de segurança pública. “Eleições livres e pacíficas são da essência da democracia. Incumbe aos poderes do Estado prevenir situações potencialmente sensíveis, o que implica medidas legais e administrativas adequadas. O poder de polícia permite ao Poder Público limitar liberdades por razões de bem comum. O Código Eleitoral prevê diversas hipóteses, gerais e específicas, de poder de polícia em favor da Justiça Eleitoral”, defende a decisão.



📲 Baixe agora o aplicativo oficial da BRADO
e receba os principais destaques do dia em primeira mão
O que estão dizendo

Deixe sua opinião!

Assine agora e comente nesta matéria com benefícos exclusivos.

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar nesta matéria!

Carregar mais
Carregando...

Carregando...

Veja Também
Bolsonaro chora durante evento das Forças Armadas; assista
Jair Bolsonaro chorou hoje durante evento de apresentação de oficiais das Forças Armadas recém promovidos, realizado nesta segunda-feira
Receita Federal altera limite de transporte de moeda em espécie durante viagem; confira mudanças
Novo valor passa a valer em 30 de dezembro e busca alinhar o controle aduaneiro com medidas implementadas pela Lei de Câmbio e Capitais Internacionais
“O medo venceu a esperança”, diz Queiroga sobre eleição de Lula
Ministro da Saúde diz acreditar que o presidente perdeu as eleições por ser “antiestablishment”
Jovem tem rosto cortado durante viagem de ônibus na Bahia: ‘Violência gratuita’
Em suas redes sociais, Stefani Firmino deu detalhes sobre o ocorrido e pediu por rigor nas investigações; uma faca foi encontrada com uma passageira e enviada para a perícia
Aleluia lembra dos constantes vandalismos contra as igrejas de Salvador ao falar sobre a estátua de Mãe Stella e que esses casos são simplesmente esquecidos
O vereador de Salvador afirmou que “não estão interessados em defender o sagrado, mas sim em alimentar as suas narrativas.”
Rui Costa é favorito para assumir Casa Civil na gestão Lula
O nome governador da Bahia, Rui Costa (PT), ganhou força nessa reta final do governo de transição como um dos favoritos para assumir a Casa Civil no governo Lula.
Carregando..