Toffoli pede vista e trava julgamento da Lei das Estatais

Suspensão favorece o governo Lula, que já obteve liminar e pode nomear políticos e aliados para empresas públicas
Por: Brado Jornal 31.mar.2023 às 16h18
Toffoli pede vista e trava julgamento da Lei das Estatais
Foto: Caroline Antunes/Agência Brasil

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu vista na ação ajuizada pelo PCdoB, aliado do governo Lula, para derrubar artigos da Lei das Estatais que impediam a nomeação de ministros, secretários, parlamentares e outros ocupantes de cargos públicos para os conselhos de Administração e diretorias da empresas públicas.

Esses artigos já foram suspensos liminarmente pelo ministro Ricardo Lewandowski, que está a um mês da aposentadoria. Com isso, Lula obteve carta branca não apenas para nomear políticos e ocupantes de funções públicas para esses cargos, mas também pessoas que trabalharam em campanhas e estruturas decisórias de partidos. Lewandowski derrubou também o artigo que estabelecia quarentena de 36 meses para que essas pessoas ocupassem cargos nas estatais.

Por isso, o pedido de vista de Toffoli favorece Lula, já que a liminar liberando as nomeações continua valendo. O julgamento da decisão de Lewandowski no plenário virtual do STF foi aberto nesta sexta-feira, 31, e iria até 12 de abril. Com o pedido de Toffoli, o julgamento foi suspenso e somente será retomado quando o processo for devolvido.

Lewandowski, relator da ação, em princípio, havia votado favoravelmente ao pedido do PCdoB, mas encaminhou o pedido de liminar para ser julgado pelo plenário. Como o ministro André Mendonça pediu vista, adiando o julgamento virtual, que ocorreria entre 10 e 17 de março, Lewandowski se apressou e, em 15 de março, concedeu a antecipação de tutela ao partido aliado de Lula. Com a devolução dos autos por Mendonça, novo julgamento foi marcado e, agora, novamente suspenso.

Até mesmo o procurador-geral da República, Augusto Aras, que tinha, em princípio, se posicionado contrariamente à ação do PCdoB, alegando que a Lei das Estatais blindava as empresas públicas de decisões políticas, mudou de ideia. Dois dias depois do primeiro parecer, ele afirmou que da forma como foi redigida, a norma afronta “direitos fundamentais”.



📲 Baixe agora o aplicativo oficial da BRADO
e receba os principais destaques do dia em primeira mão
O que estão dizendo

Deixe sua opinião!

Assine agora e comente nesta matéria com benefícos exclusivos.

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar nesta matéria!

Carregar mais
Carregando...

Carregando...

Veja Também
PL de cidade baiana tem diretório liderado por amigo do PT
Em participação do quadro 'BRADO popular', ouvinte de Ituberá disse que o presidente do PL na cidade é ligado PT
RJ: Corpo de criança é achado em lixeira com mais de 30 facadas
Pedreiro Edilson Amorim dos Santos Filho foi preso pelos crimes de estupro de vulnerável, homicídio e ocultação de cadáver
Lula retira embaixador brasileiro em Israel
A embaixada em Tel-Aviv passa a ser chefiada pelo ministro-conselheiro e encarregado de negócios, Fábio Farias
Capitão Alden comemora derrubada do veto das “saidinhas”
Deputado federal votou a favor para derrubar veto de Lula
Felipe Neto se revolta após taxação de compras internacionais: 'Fico com cara de otário'
Youtuber acusou a “extrema-direita” de disseminar “fake news” para prejudicar o governo após notícias sobre a proposta de aumentar os impostos de importação e eliminar a isenção
Carregando..