Pacheco: equiparar aborto a homicídio é 'irracionalidade'

Declaração do presidente do Senado aconteceu um dia após repercussão sobre audiência pública na Casa; atriz contadora de histórias fez uma performance no plenário
Por: Brado Jornal 19.jun.2024 às 07h24
Pacheco: equiparar aborto a homicídio é 'irracionalidade'
Lula Marques/Agência Brasil

O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmou, nesta terça-feira (18), que equiparar o aborto após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio é uma “irracionalidade”. A declaração foi feita durante sessão plenária.

A fala de Pacheco ocorreu após diversos senadores comentarem a audiência sobre o tema realizada no plenário da Casa na segunda-feira (17). Na ocasião, o senador Eduardo Girão (Novo-CE) convidou uma contadora de histórias para interpretar um texto contrário à assistolia fetal como método de aborto legal.

“Quando se discute a possibilidade de equiparar o aborto em qualquer momento ao crime de homicídio, que é definido pela lei penal como matar alguém, isso de fato é, me perdoe, uma irracionalidade. Isso não tem o menor cabimento, a menor lógica, a menor razoabilidade”, afirmou o presidente do Senado.

Pacheco ainda defendeu a legislação atual, que prevê o aborto em casos de estupro, risco de vida da gestante ou por anencefalia.

“Evidente que uma menina estuprada, uma mãe estuprada, tem o direito de não conceber aquela criança, essa é a lógica penal respeitado os entendimentos religiosos que existem, mas essa é a lógica política e jurídica estabelecida no Brasil”, complementou o presidente do Senado.

Na última semana, a Câmara dos Deputados aprovou a urgência para um projeto de lei que equipara o aborto após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. Por isso, o texto poderá ser avaliado diretamente pelo plenário, sem a necessidade de passar por comissões temáticas.

Pacheco já havia se manifestado sobre o tema afirmando que, se o texto chegar ao Senado, ele será amplamente discutido, passando por comissões temáticas e com forte participação da bancada feminina. Nesta terça, ele reafirmou seu posicionamento.

“Desde logo já me antecipei por conta do tema que lhe versa, aborto, gravidez decorrente de estupro, que isso evidentemente jamais viria, na hipótese de aprovação da Câmara dos Deputados, diretamente para o plenário do Senado Federal. Esse compromisso eu reafirmo publicamente. Ao chegar no Senado os temas dessa natureza, ele será submetido às comissões próprias do Senado para que haja o debate”, disse nesta terça.

Pacheco também afirmou que a equiparação da pena de aborto ao crime de homicídio coloca em risco a legislação do direito penal.

“Imagina punir aborto com pena de 6 a 20 anos equiparado a homicídio. O que vamos fazer com outros crimes? O que vamos fazer com o próprio estupro? Então, de fato precisamos ter responsabilidade penal”, complementou Pacheco.

O presidente do Senado ainda lembrou que se posicionou contrário à legalização do aborto no Brasil, mas afirmou que o projeto de lei não trata sobre essa questão.



📲 Baixe agora o aplicativo oficial da BRADO
e receba os principais destaques do dia em primeira mão
O que estão dizendo

Deixe sua opinião!

Assine agora e comente nesta matéria com benefícos exclusivos.

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar nesta matéria!

Carregar mais
Carregando...

Carregando...

Veja Também
Tebet diz que Lula determinou compromisso de governo não gastar mais do que arrecada
A ministra do Planejamento falou que o governo possui o compromisso, determinado por Lula, de não gastar mais do que arrecada e que isso deve ser visto no orçamento de 2025
Lula diz que ligou para Lira após discussão entre deputados na Câmara
Para o petista, esse tipo de comportamento, de xingar adversários, induz os políticos a cometerem erros e serem achincalhados “como muitas vezes é o Congresso Nacional, o Senado, a Câmara, o Executivo e a Suprema Corte”
Lauana Prado: quem é a cantora comunista que critica Bolsonaro entre sertanejos
Principal voz do "feminejo", cantora de 35 anos que faz contraponto à maioria dos cantores do gênero
Fui o único que tratou a pandemia com seriedade, diz Bolsonaro
Ex-presidente discursou para apoiadores em Duque de Caxias ao lado de ex-prefeito investigado por falsificar seu cartão de vacinação
Repórter da “Record” é demitida por vazar trecho de entrevista com Lula
Declarações do presidente sobre dúvidas a respeito da necessidade de cortar gastos foram antecipadas ao mercado financeiro por meio de agência de análise política da qual é sócia Renata Varandas, a jornalista dispensada
Carregando..