Tribunal de Contas multa prefeito na Bahia

Elter Bastos Silva, prefeito do município de Wagner, descumpriu decisão do Tribunal
Por: Brado Jornal 30.mai.2024 às 12h30
Tribunal de Contas multa prefeito na Bahia
Reprodução/Instagram

O Tribunal de Contas dos Municípios decidiu, na manhã da quarta-feira, 29, acatar – de forma parcial – uma denúncia apresentada contra Elter Bastos Silva, prefeito do município de Wagner, em razão do descumprimento de decisão deste Tribunal. A deliberação determinou a imediata exoneração de servidoras nomeadas pelo gestor no exercício de 2020 e que ocupavam cargos em comissão, violando a Súmula Vinculante nº 13, do Supremo Tribunal Federal (STF).

O conselheiro Mário Negromonte, relator do processo, imputou ao prefeito uma multa de R$2 mil e determinou – mais uma vez – a imediata exoneração da servidora Maria Jamile da Silva.

A nova denúncia foi apresentada pelo vereador Gideon Joaquim Ferreira Júnior, que se insurgiu contra o descumprimento da decisão inicial pelo gestor, diante da não exoneração das servidoras.

O prefeito, em sua defesa, sustentou que o recurso ordinário apresentado contra a decisão inicial reconheceu que a nomeação de Keli Dalva Pires Bastos – sua esposa -, para o cargo de secretária de Assistência Social, não se enquadra como nepotismo, já que a servidora possui qualificação técnica para atuar na função.

Em relação à servidora Ana Lúcia Ribeiro dos Santos, irmã do vice-prefeito Joelson Ribeiro dos Santos, apresentou o ato de exoneração, o que comprova – explicou – o cumprimento da determinação.

No entanto, no que diz respeito à contratação de Maria Jamile da Silva, esposa do secretário de Obras e Serviços Rogério Pereira dos Santos, para o cargo de coordenadora de Ações Pedagógicas, o prefeito não apresentou ato de desligamento, alegando apenas que esta não é parente da autoridade que a nomeou e nem atua em órgão em que parentes exercem cargo de chefia.

O relator do processo, conselheiro Mário Negromonte, sustentou que não é mais cabível – neste momento processual – impugnar a deliberação, devendo o gestor cumprir a decisão. Destacou, também, que o recurso ordinário apresentado reconheceu a irregularidade na contratação da servidora Maria Jamile da Silva Pires, por ela exercer cargo comissionado administrativo (não cargo político), e ser irmã do secretário de Obras e Serviços – o que a enquadra plenamente na vedação estabelecida pela Súmula Vinculante nº 13 do STF. Por esta razão, a servidora deve ser imediatamente exonerada.



📲 Baixe agora o aplicativo oficial da BRADO
e receba os principais destaques do dia em primeira mão
O que estão dizendo

Deixe sua opinião!

Assine agora e comente nesta matéria com benefícos exclusivos.

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar nesta matéria!

Carregar mais
Carregando...

Carregando...

Veja Também
Governo Lula lança site para detectar e combater ‘discurso de ódio’ na web
Portal Ódio ou Opinião foi divulgado nesta terça-feira (18)
Moraes recua e reativa vídeo e textos sobre acusação contra Lira
Para Moraes, todos os conteúdos são reportagens jornalísticas que já haviam sido veiculadas anteriormente, sem juízo de valor
Aliados de Janones mentiram ao negar rachadinha, diz PF
Polícia Federal aponta contradições em depoimentos de aliados de Janones que negaram existência de rachadinha: “Não falaram a verdade”
Travis Scott é preso por embriaguez
Rapper apresentou fiança e deve ser libertado da prisão ainda nesta quinta-feira.
Moraes determina que hospitais informem se estão cumprindo decisão sobre aborto
A intimação aconteceu nesta quarta-feira (19)
Tribunal do Amapá decide pela cassação do mandato de deputada do PL
O motivo foi o suposto uso de verba de campanha eleitoral para procedimento de harmonização facial durante as eleições de 2022, quando Silvia Waiãpi foi eleita para uma vaga na Câmara dos Deputados
Carregando..