ACM Neto defende Brasil 'livre do radicalismo'

"Se a gente tiver que estar junto do PT, do PSOL, do PCdoB, do PDT, não interessa se é direita ou esquerda, para defender a democracia, contem conosco", disse.
07.set.2021 às 18h54
Atualizado: 07.set.2021 às 18h54
ACM Neto defende Brasil 'livre do radicalismo'
ACM Neto em entrevista com um livro do terrorista de esquerda, Carlos Marighella

O ex-prefeito de Salvador e presidente do DEM, ACM Neto, defendeu nesta terça-feira (7) a luta pela democracia como símbolo do feriado da Independência do Brasil. 

"Um Brasil independente é um Brasil livre do radicalismo, que valoriza a democracia, e não o ódio. Hoje a nossa luta é por tolerância, comida na mesa dos brasileiros, emprego, respeito às diferenças e por um país mais justo e menos desigual", escreveu no Twitter.

"Essas são lutas diárias, aquelas que realmente importam e fazem a diferença na vida das pessoas", completou. 

Em junho de 2020, ACM Neto, afirmou que é preciso combater qualquer tentativa de ataque à democracia brasileira, mesmo estando ao lado de partidos que defendem publicamente ditaduras socialistas como o PT, PCdoB, PSOL e PDT, durante seminário online promovido pelo Harvard-Brazil Dialogues, série de conversas organizadas pela universidade americana.

"Se a gente tiver que estar junto do PT, do PSOL, do PCdoB, do PDT, não interessa se é direita ou esquerda, para defender a democracia, contem conosco", disse.


Veja Também
União da esquerda: Neto é flagrado correndo com presidente do Esporte Clube Bahia
Fervoroso militante de esquerda, Bellintani colocou o time nas principais agendas progressistas.
“Homicídios na Bahia aumentaram mais de 200% na era do Governo do PT”, diz Capitão Alden
Dados do DATA SUS/TabNet mostram que de 1993 a 2006 o estado teve 25.977 homicídios; de 2007 a 2020 o número subiu para 79.923
Ao tomar posse, Aras prega união do Judiciário e respeito à Constituição Federal
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participou de forma virtual da cerimônia que reconduziu o PGR ao cargo
Rui manda fazer 'pente-fino' contra armamento e atribui a Bolsonaro o aumento da criminalidade na Bahia; especialista desmente governador
Governador da Bahia disse que a polícia não vai se intimidar com ações de bandidos e que vai recolher o "derrame de armas" do governo federal