Presidente da Câmara de Vereadores de Salvador faz duro discurso e aponta tentativa de usurpação e interferência do MP

Segundo Geraldo Jr, um documento enviado pelo MP na segunda-feira (22) apontava sete recomendações à Casa quanto à apreciação de matéria orçamentária e também sobre o tema a infância e da adolescência.
Por: Brado Jornal 23.nov.2021 às 16h35
Presidente da Câmara de Vereadores de Salvador faz duro discurso e aponta tentativa de usurpação e interferência do MP

O presidente da Câmara Municipal de Salvador, Geraldo Jr (MDB), fez um duro discurso em resposta ao Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) a quem o edil acusou de tentar interferir nos trabalhos da Casa. “Aí está uma clara e límpida tentativa de usurpação e interferência do Ministério Público nesta casa”, declarou o emedebista, logo na abertura da sessão desta terça-feira (23). Segundo Geraldo Jr, um documento enviado pelo MP na segunda-feira (22) apontava sete recomendações à Casa quanto à apreciação de matéria orçamentária e também sobre o tema a infância e da adolescência.

Como relatou o presidente da CMS, o MP “ordenou” que as recomendações fossem repassadas ao 43 vereadores e ainda deu prazo de dez dias para que a Casa respondesse se cumpriu ou não a ordem. “Ou seja, não há mais a discricionariedade dos vereadores desta casa. Ora, senhoras e senhores vereadores, que país é que estamos vivendo? Esta casa se respeita e com certeza vive sob a égide da Constituição Federal, onde as competências e atribuições dos poderes constituídos e das instituições a eles submetidos estão perfeitamente delineados”, discursou Geraldo Jr.

O vereador Geraldo Jr ressaltou, no discurso, que a Casa não aceitará a interferência. “As nossas atribuições e limites para legislar estão disciplinados em normas específicas da Carta Magna, a Constituição Estadual, a Lei Orgânica do Município e o nosso regimento”, apontou. O emedebista não chamou apontou as “forças ocultas” como as motivadoras das recomendações e ordem, mas “forças adversas externas”.

“Tenho o maior respeito ao Ministério Público da Bahia, o maior respeito aos ilustres representantes do parquet, mas não posso permitir que o Ministério Público venha intervir nesta Casa. Nós não vamos nos render a esse tipo de recomendação, que, no nosso entendimento, é descabida e desrespeitosa com a nossa instituição, sobretudo com a imunidade material que cada um dos 43 vereadores têm”, declarou Geraldo Jr. O emedebista também mandou um recado para os “desavisados interna corporis” que tenham jogado contra a Casa e ensejado a recomendação ministerial.

O procuradora da Câmara Municipal de Salvador, o vereador Edivaldo Brito (PSD), salientou que “ninguém tem poder para dizer à Câmara Municipal de Salvador, a mais antiga desse país, a como exercer o ônus que recebeu do povo”. Brito disse que fará um parecer sobre a questão, mas ressaltou que não referendará censura ao poder legislativo municipal. Edivaldo Brito disse que é possível ao Ministério Público agir contra um vereador que tenha agido contra a lei, mas que não cabe aos procuradores indicarem como devem ocorrer os trabalhos no legislativo municipal, tanto quanto não tem poder para promover tais ações contra Assembleias Legislativas ou o Legislativo Federal.

Siga o Brado Jornal no Google Notícias e receba os principais destaques do dia em primeira mão
Veja Também
Bianco rebate diretor da Anvisa: “Oportunistas não colocarão em xeque credibilidade da AGU”
Em resposta, Bianco afirmou que “oportunistas não colocarão em xeque credibilidade da AGU” e sugeriu que Alex usa seu cargo na Anvisa para “promoção pessoal”.
Dia triste para o Brasil: Filósofo Olavo de Carvalho morre aos 74 anos
No dia 15 de janeiro, o filósofo conservador compartilhou em seu canal do Telegram que foi diagnosticado com Covid-19 e teve que cancelar aulas de seu Curso Online de FIlosofia (COF).
Mourão diz ser a favor da vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19
“Eu acompanho a decisão dos responsáveis pelo assunto”, disse o vice-presidente em referência às autoridades sanitárias.
Rosa Weber envia à PGR ação contra Bolsonaro e Queiroga por suposta prevaricação na vacinação de crianças
A decisão foi assinada em 7 de janeiro, mas somente foi disponibilizada no site do STF nesta segunda-feira (24).
Valor médio do Auxílio Brasil será mais de R$ 400, diz ministro
João Roma foi entrevistado no programa Sem Censura
Carregando..