Paulo Pimenta nega interferência de Janja no caso Robinho

O ministro da Secom disse que "mentira" foi divulgada por apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro
Por: Brado Jornal 02.abr.2024 às 17h31 - Atualizado: 02.abr.2024 às 17h33
Paulo Pimenta nega interferência de Janja no caso Robinho
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Paulo Pimenta, disse que o ministro do Superior Tribunal de Justiça Francisco Falcão “desmentiu” que a primeira-dama Janja Lula da Silva tenha influenciado na prisão do ex-jogador Robinho.

“Segundo o ministro, a conversa nunca existiu e ele não conhece e nunca falou com ela. Aguardo os desmentidos e pedidos de desculpas de todos(as) que durante todo o dia de hoje de forma covarde divulgaram essa fake news”, declarou Pimenta em seu perfil no X (ex-Twitter).

A informação de que Janja teria “pressionado” o magistrado pela prisão do atleta foi publicada inicialmente pelo jornal O Globo.

O caso motivou uma notícia-crime, de autoria da deputada federal Carla Zambelli (PL-SP), enviada ao Ministério Público Federal. A congressista pede a investigação contra Janja pela suposta interferência.

Pimenta disse que a deputada acionou a Justiça para apurar uma “mentira” compartilhada pelo próprio grupo político dela.

Janja também se manifestou sobre a suposta interferência. Ela declarou que não “realizou qualquer ligação” e que não conhece o ministro.


CASO ROBINHO

Em 2017, Robinho foi condenado a 9 anos de prisão em regime fechado pelo crime de estupro pela Justiça da Itália. Investigações indicam que, em 2013, ele e 5 amigos teriam embriagado uma jovem albanesa de 23 anos em uma boate em Milão. A jovem teria sido estuprada coletivamente pelos 6.

O Tribunal de Apelação de Milão confirmou a condenação em 2020, mas como cabia recurso, Robinho permaneceu em liberdade e voltou ao Brasil. Em janeiro de 2022, a Corte de Cassação da Itália negou o recurso apresentado pela defesa e ele foi condenado a 9 anos de prisão. Por ser o órgão máximo da Justiça italiana, não há possibilidade de reverter a decisão.

Em 20 de março, o STJ decidiu pelo cumprimento imediato da sentença do ex-atleta no Brasil.

O ex-atleta preso em 21 de março pela PF (Polícia Federal) em Santos (SP). Cumpre pena na penitenciária de Tremembé, interior de São Paulo.



📲 Baixe agora o aplicativo oficial da BRADO
e receba os principais destaques do dia em primeira mão
O que estão dizendo

Deixe sua opinião!

Assine agora e comente nesta matéria com benefícos exclusivos.

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar nesta matéria!

Carregar mais
Carregando...

Carregando...

Veja Também
Com recorde de casos de dengue, ministra da Saúde diz que letalidade da doença diminuiu
Brasil registra 3,2 milhões de casos prováveis neste ano e 1.385 mortes
Lula participa de jantar na casa de Gilmar Mendes
Encontro contou com a presença dos ministros Cristiano Zanin, Flávio Dino e Alexandre De Moraes
Mendonça rejeita acusação contra Nikolas Ferreira por 'transfobia'
Ministro do Supremo Tribunal Federal afirmou que declarações do deputado estão protegidas pela imunidade parlamentar
Moraes “exige” que o X viole as leis brasileiras, diz Musk
Plataforma foi intimada pelo Congresso dos EUA a fornecer informações sobre as ordens da Justiça brasileira de moderação de conteúdo
Operação Lesa Pátria: PF faz busca e apreensão em 8 estados
A corporação informou ter sido determinada a indisponibilidade de bens, ativos e valores dos investigados
O caso do aluno com camisa de Bolsonaro em faculdade de Salvador: "posso ser expulso e perder todo o curso de direito"
A direção da faculdade salientou que o “professor não está sendo investigado”
Carregando..