Camaçari: maior polo industrial da BA registra queda na arrecadação e impactos no comércio

Camaçari perdeu R$ 30 milhões do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) e mais R$ 100 milhões do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da receita líquida.
Por: Brado Jornal 13.jan.2022 às 06h17
Camaçari: maior polo industrial da BA registra queda na arrecadação e impactos no comércio

Um ano após o encerramento das atividades da fábrica Ford no Brasil, a cidade que abriga o maior Polo Industrial da Bahia, Camaçari, na região metropolitana de Salvador, convive com perda na arrecadação de receitas e impactos fortes no comércio causado pelas demissões.

O Polo Industrial de Camaçari, que tem 43 anos de operação, é um dos maiores complexos industriais integrados do Hemisfério Sul e desempenha papel importante no setor produtivo do estado.

Segundo informações do secretário de Administração de Camaçari, ou como alguns dizem ser o "próprio prefeito de Camaçari", Helder Almeida, a cidade, que tinha arrecadação anual de cerca de R$ 1,3 bilhão em impostos, perdeu R$ 30 milhões do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) e mais R$ 100 milhões do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da receita líquida com o fechamento da empresa. 

O maior Polo Industrial da Bahia foi instalado em Camaçari há 43 anos e aposta em tecnologia de ponta para se destacar no mercado.

Segundo o Comitê de Fomento Industrial de Camaçari (Cofic), atualmente, o segmento automotivo é liderado pela Continental e Bridgestone, com a fabricação de pneus.

Antes da saída da Ford de Camaçari, o Cofic estimava que o faturamento do Polo Industrial da Bahia era de mais de R$ 60 bilhões e o local gerava 45 mil empregos diretos e indiretos.

Os números colocavam a cidade como o 15° maior Produto Interno Bruto (PIB) industrial do país. O comitê afirma que trabalha para atualizar os dados após o anúncio do fechamento da montadora de veículos.

Antes da saída da Ford, as vendas para o mercado externo correspondiam a 30% do total das exportações baianas.

O Complexo Industrial respondia ainda por mais de 90% da arrecadação tributária dos municípios de Camaçari e Dias D´Ávila e por cerca de 22% do PIB da Indústria de Transformação do Estado da Bahia, conforme dados do Cofic.

As principais linhas de aplicação no Polo Industrial da Bahia são: dos produtos petroquímicos e químicos são os plásticos, fibras sintéticas, borrachas sintéticas, resinas e pigmentos.

Após transformados, os produtos químicos e petroquímicos resultam em embalagens, utilidades domésticas, mobiliário, materiais de construção, vestuário, calçados, componentes industriais (indústria eletrônica, de informática, automobilística e aeronáutica), tintas, produtos de limpeza (detergentes), corantes, medicamentos, fraldas, absorventes higiênicos, defensivos agrícolas e fertilizantes.

O Polo Industrial de Camaçari fabrica também celulose solúvel, cobre eltrolítico, produtos têxteis (poliéster), fertilizantes, equipamentos para geração de energia eólica, bebidas, dentre outros.

Siga o Brado Jornal no Google Notícias e receba os principais destaques do dia em primeira mão
Veja Também
URGENTE: Bolsonaro é internado em hospital de São Paulo
Médico do presidente diz que ele foi internado nesta madrugada com suspeita de obstrução intestinal
Programa de Fátima Bernardes vai sair do ar
No ar há 10 anos, a atração vem amargando baixo índice de audiência e já foi alvo de diversas polêmicas por ser considerado um palco em cadeia nacional para ideias de esquerda.
Setor público pode ter primeiro superávit primário desde 2013
A informação foi dada nesta quarta-feira (29) pelo secretário do Tesouro Nacional, Paulo Valle. “Hoje a gente tem uma forte indicação que haverá superávit primário em 2021 considerando todo o setor público geral. Seria o primeiro superávit primário desde 2013”, disse.
Lewandowski manda MP punir pais que não vacinam filhos contra a Covid
No início de janeiro, o Ministério da Saúde aprovou a disponibilização da vacina da Pfizer para as crianças de 5 a 11 anos, seguindo recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas ressalvou que ela não seria obrigatória.
Doze capitais já estão aptas a receber o 5G; Salvador está fora da lista
Para que a tecnologia chegue em todas as cidades, é necessária adequação da Lei Geral das Antenas. O prazo para o processo vai até 2029.
Bolsonaro retira sonda e evolui bem, diz boletim médico
Mais cedo, conforme noticiado, a equipe médica que acompanha o presidente descartou a possibilidade de nova cirurgia. Segundo o comunicado, a obstrução instestinal se desfez.
Carregando..