Câmara aprova texto-base da MP que substitui Bolsa Família pelo Auxílio Brasil

Deputados ainda analisam os destaques. A MP acaba com o Bolsa Família e cria o Auxílio Brasil, que começou a ser pago este mês
25.nov.2021 às 15h56
Atualizado: 25.nov.2021 às 15h57
Câmara aprova texto-base da MP que substitui Bolsa Família pelo Auxílio Brasil
Plenário da Câmara dos Deputados - Pedro Ladeira - 24.nov.2021

Os critérios para recebimento do benefício foram alterados e incentivos ligados ao esporte, desempenho no estudo e inserção produtiva foram incluídos pela medida.

Os deputados ainda irão analisar os destaques ao texto, e em seguida a matéria segue para apreciação do Senado. Para não perder a validade, a medida provisória precisa ser aprovada pelas duas Casas do Congresso até o dia 7 de dezembro.

A MP também institui programa o Alimenta Brasil, que substitui o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), para que o poder público compre alimentos produzidos pela agricultura familiar, garantindo renda mínima aos produtores.

O relatório

O relator, deputado Marcelo Aro (PP-MG), retirou do texto a correção automática do benefício pela inflação. Apesar de defender o reajuste, ele disse que, caso mantivesse a indexação, a matéria não teria votos suficientes para aprovação na Casa, porque o ponto desagrada a ala governista no Congresso.

O texto aprovado estipula que para receber o benefício, a família precisa ter renda mensal per capita de até R$ 210 mensais, e os parâmetros que caracterizam as linhas de pobreza e extrema pobreza foram modificados. Em relação ao que o governo considerava no Bolsa Família, a extrema pobreza passou de renda de R$ 89 para R$ 105 per capita, e a de pobreza, de R$178 para R$ 210.

Além disso, o relatório impede que haja fila de espera para ingressar no programa. Atualmente, por lei, o governo não é obrigado a atender todas as famílias que estão dentro da faixa de pobreza e extrema pobreza. Com essas medidas, o relator prevê que cerca de 3 milhões de famílias que antes não eram beneficiadas pelo antigo programa serão incluídas no novo auxílio.

Outros pontos previstos na versão original da MP enviada pelo governo e alterados na Câmara foram a retirada do limite de 5 beneficiários por família, a permissão para beneficiários do programa terem direito a crédito consignado e a inclusão de mulheres que amamentam como possíveis beneficiárias.

O texto de Marcelo Aro também prevê que anualmente o governo deverá ir a público fazer um balanço sobre o auxílio e prestar contas sobre o cumprimento, ou não, de metas relacionadas ao benefício.

Veja Também
Por banheiros multigênero, MC Donald's é autuado por prefeitura e pode pagar multa
Vídeo em Bauru viralizou na internet e provocou a revolta do povo
Filho de Galvão Bueno detona Casagrande por comentários políticos
Caca disse que não assiste a canais de esportes para ouvir sobre assuntos políticos.
Depois de tentar buscar votos entre Bolsonaristas, Paulo Câmara desiste e elogia Doria em Salvador
Doria esteve na tarde deste sábado (6) na capital baiana em um evento do PSDB.
Bolsonaro diz que vai prorrogar desoneração da folha por mais dois anos
Havia uma expectativa de que, com o fim desse benefício fiscal, as empresas pudessem demitir ano que vem, após a pandemia, quase 3 milhões de trabalhadores
Claudia Leitte é criticada nas redes sociais após show em São Paulo
Cantora foi duramente criticada por promover aglomeração em meio à pandemia
O que a ciência sabe sobre a variante B.1.1.529, identificada em Botsuana
A linhagem também foi encontrada na África do Sul e em Hong Kong. Até o momento, não há registros da variante no Brasil