O brasileiro e a Copa do Mundo

Amanhã é o jogo de estreia do Brasil na Copa, e quase ninguém tá falando disso.
Por: Tatiana Mandelli 23.nov.2022 às 19h58
O brasileiro e a Copa do Mundo

Amanhã é o jogo de estreia do Brasil na Copa, e quase ninguém tá falando disso.

Hoje o povo brasileiro lota as ruas de verde amarelo. E não é por causa da copa do mundo. 

Quero compartilhar a tese de meu marido sobre o assunto. Ele jura que o nosso envolvimento com politica nasceu no dia 8 de julho de 2014. Mesmo dia em que fomos destruídos em campo com um 7 a 1 da Alemanha. Jogando em casa, no Estádio do Mineirão, um resultado de humilhar, uma data pra nunca esquecer.

Quem não se recorda daquela sensação estranha? Em pouco mais de 90 minutos entendemos que não éramos "os melhores do mundo". Será que um dia fomos?

QUE CHOQUE o de compreender que a Alemanha é muito melhor. Não apenas no futebol mas ganhando também de 7 a 1 na saúde, na educação, na disciplina, na técnica… 7 vezes melhor!

E assim, com o apito do juiz, o brasileiro se desinteressou por futebol e pasmem, começou a gostar de política.

Foi nas redes sociais que o povo começou um processo sem volta de dar opinião, compartilhar notícias, se interessar pelos seus representantes e se escandalizar com os absurdos de corrupção do governo PT.  

E foram às ruas.

Colocaram suas camisas verde e amarelo. Não mais por uma seleção mas pelo país, pelo Brasil.

Pediram o impeachment de Dilma e a reforma da previdência. Um processo irreversível do povo indo representar a si mesmo, já cansado da tal “ sociedade civil “ que ninguém nunca viu e nem sabe quem é.

Um povo que quer ser como a Alemanha: com prosperidade, democracia e honestidade.

Sofremos e torcemos pela lava jato. 

O que estão dizendo

Deixe sua opinião!

Assine agora e comente nesta matéria com benefícos exclusivos.

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar nesta matéria!

Carregar mais
Carregando...

Carregando...

Veja Também
Quem é o cineasta petista que dirigiu cena do “atentado” contra Bolsonaro
Um Dossiê sobre a estranha relação do grupo Globo e Lula com o cineasta que dirigiu cena de atentado contra o Presidente Bolsonaro
Era uma vez uma “cristã” feminista!
Muitos movimentos de “empoderamento feminino” há algum tempo, surgem dentro da Igreja Católica, através da Teologia da Libertação, assim como dentro das igrejas evangélicas...

Conteúdo para Assinantes

Continue lendo esta matéria com acesso ilimitado.

Carregando..