O brasileiro e a Copa do Mundo

Amanhã é o jogo de estreia do Brasil na Copa, e quase ninguém tá falando disso.
Por: Tatiana Mandelli 23.nov.2022 às 19h58
O brasileiro e a Copa do Mundo

Amanhã é o jogo de estreia do Brasil na Copa, e quase ninguém tá falando disso.

Hoje o povo brasileiro lota as ruas de verde amarelo. E não é por causa da copa do mundo. 

Quero compartilhar a tese de meu marido sobre o assunto. Ele jura que o nosso envolvimento com politica nasceu no dia 8 de julho de 2014. Mesmo dia em que fomos destruídos em campo com um 7 a 1 da Alemanha. Jogando em casa, no Estádio do Mineirão, um resultado de humilhar, uma data pra nunca esquecer.

Quem não se recorda daquela sensação estranha? Em pouco mais de 90 minutos entendemos que não éramos "os melhores do mundo". Será que um dia fomos?

QUE CHOQUE o de compreender que a Alemanha é muito melhor. Não apenas no futebol mas ganhando também de 7 a 1 na saúde, na educação, na disciplina, na técnica… 7 vezes melhor!

E assim, com o apito do juiz, o brasileiro se desinteressou por futebol e pasmem, começou a gostar de política.

Foi nas redes sociais que o povo começou um processo sem volta de dar opinião, compartilhar notícias, se interessar pelos seus representantes e se escandalizar com os absurdos de corrupção do governo PT.  

E foram às ruas.

Colocaram suas camisas verde e amarelo. Não mais por uma seleção mas pelo país, pelo Brasil.

Pediram o impeachment de Dilma e a reforma da previdência. Um processo irreversível do povo indo representar a si mesmo, já cansado da tal “ sociedade civil “ que ninguém nunca viu e nem sabe quem é.

Um povo que quer ser como a Alemanha: com prosperidade, democracia e honestidade.

Sofremos e torcemos pela lava jato. 

Vimos a justiça acontecer, vimos o "establishment" ir para trás das grades e pagar por seus acordos escusos.

O brasileiro vibrou e elegeu o único candidato com quem se identificou, um homem simples, honesto e comprometido com a nossa pátria.

Vimos o patriotismo crescer e a nossa bandeira ser levantada com o orgulho de um povo que quer construir sua soberania, trabalhar em paz e ter direito a um governo honesto.

Mas o sistema não morre fácil. 

Logo o tal "establishment" através de seu braço mais cruel, a imprensa, começou a mostrar suas garras. Nos chamaram de "fascistas" e "golpistas". 

Foram 4 anos atacando com narrativas. 

Não nos abalaram!

Permanecemos nas ruas por um Brasil melhor.

Sabemos os nomes dos ministros do STF mas não sabemos a escalação da seleção brasileira.

Vou lembrar: Amanhã é o jogo  de estreia do Brasil na copa, e você está lendo um artigo de política.

23 dias: esse é o tempo que estamos nas ruas. 

O povo conservador brasileiro, que quer ver esta nação livre e próspera, não sai das ruas!

Chamando a atenção do mundo para o que já é conhecido como ‘ Brazilian Spring” estamos deixando claro que esse "sistema" corrupto e vil não nos representa.

O povo está nas ruas não porque quer mais um título na Copa...

O que nós queremos é saber quem ganhou essa eleição cheia de dúvidas em relação ao seu processo eleitoral. 

Estamos nas ruas aos milhares, de norte a sul pedindo à única instituição confiável, que são as nossas Forças Armadas, que apenas atestem que nosso processo eleitoral foi limpo e o declarado vencedor corresponde aos desejos do povo.

Queremos a garantia que o nosso voto, instrumento de nossa cidadania e escolha, foi corretamente depositado e contabilizado.

Pedimos nas ruas um sistema eleitoral impresso para auditar facilmente e garantir transparência. 

O "establishment" se incomodou. O "sistema" não gosta de democracia. 

O "establishment" se uniu e não permitiu.

Estamos vendo a censura extrapolar os limites da Constituição e Ministros do STF agirem como ditadores.  Dizem defender a "o estado democrático de direto". Não sabemos bem que estado é esse e nem democracia para quem. Certamente não defendem a mesma democracia do povo que está nas ruas. 

Amanhã muitos nem vão assistir o jogo. Estarão nas ruas. De verde e amarelo como em outros anos. Mas estarão protestando, pedindo para serem ouvidos e respeitados.

Como disse o Dr. Enéas Carneiro: “o dia em que o povo estiver mais preocupado com a política do que com a Copa do Mundo, o Brasil finalmente começará a mudar”.

Pois os ventos da mudança já sopram no coração dos patriotas.

O mundo é testemunha.

Se a tese do 7x1 esta certa ou não...eu não sei.

O que eu sei, é que o povo nas ruas não pode ser ignorado.

O que estão dizendo

Deixe sua opinião!

Assine agora e comente nesta matéria com benefícos exclusivos.

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar nesta matéria!

Carregar mais
Carregando...

Carregando...

Carregando..